Buscar

Rebelião da Páscoa - quanto você sabe sobre a história irlandesa?

Atualizado: Abr 21

Várias rebeliões aconteceram ao longo dos sete séculos em que os Britânicos tiveram controle sobre o país. Mas nenhuma teve melhores resultados quanto a de 1916.


A Irlanda se tornou um Estado Livre independente em 1922 e República em 1949 , mas a data mais significativa para a independência do país foi realmente o ano de 1916: quando na Semana da Páscoa, um pequeno grupo de rebeldes tomou conta de alguns dos principais pontos de acesso à Dublin e declarou o país uma república.


A Rebelião da Páscoa (Easter Raising) começou na segunda-feira de Páscoa, 24 de abril de 1916. Foi organizada por sete membros do Conselho Militar da IRB Irish Republican Brotherhood (Irmandade Republicana Irlandesa), e incluía também membros do Irish Volunteers ( Voluntários Irlandeses - liderados pelo professor Patrick Pearse), membros do Irish Citizen Army (Exército do Cidadão Irlandês - liderados pelo líder sindical James Connolly) e membros do Cumann na mBan (Conselho das Mulheres Irlandesas).


Os rebeldes tomaram vários edifícios em locais importantes e estratégicos por toda a cidade, incluindo o prédio dos Correios (GPO), onde ficou estabelecido o quartel general. Era no GPO que James Connolly, comandante militar geral, e outros quatro membros do conselho também estavam estacionados: Padraigh Pearse, Tom Clarke, Séan McDermott e Joseph Plunkett. Foi ali que as Bandeiras Republicanas foram hasteadas e por volta do meio-dia, na O’Connell Street em frente ao GPO, Padraigh Pearse leu a ”Proclamação do Governo Provisório da República da Irlanda”.


Quando o exército britânico se deu conta do que estava acontecendo em Dublin, mandou chamar mais tropas e artilharia pesada foi trazida para ser usada contra as fortalezas republicanas. Na sexta-feira, o general Sir John Maxwell chegou da Inglaterra para assumir o comando geral e deixou claro que não hesitaria em destruir todos os edifícios mantidos pelos rebeldes. Contra a artilharia britânica não havia muito o que eles com seus rifles, pudessem fazer a respeito. Um canhão instalado em um barco de guerra, o Helga, subiu o rio Liffey até o centro da cidade e começou a bombardear a O'Connell Street e o GPO. Logo toda a avenida estaria em chamas.


Houveram muitas baixas, especialmente entre rebeldes e civis, juntamente com sérios danos causados às propriedades no centro de Dublin. O exército britânico rapidamente e brutalmente suprimiu o Levante, que durou exatamente seis dias. Os líderes da rebelião ficaram isolados no centro da cidade e percebendo as baixas civis, resolveram então se render para evitar mais mortes. Um total de 3.430 homens e 79 mulheres foram presos. A grande maioria foi libertada posteriormente.


Mas destes presos, noventa foram condenados à morte. Os quinze líderes , que incluia também os sete signatários da Proclamação da República, foram fuzilados na prisão de Kilmainham Jail em maio de 1916. Um dos últimos a serem executados foi James Connolly que estava ferido na perna e teve que ser amarrado a uma cadeira já que estava muito debilitado para ficar em pé.


Inicialmente, havia pouco apoio do povo irlandês aos rebeldes. No entanto, tudo mudou, particularmente devido à brutal repressão britânica. Os maus-tratos dos prisioneiros pelos britânicos fizeram com que a opinião pública se voltasse contra o domínio inglês, em favor da independência. Os líderes executados foram aclamados como mártires e muitos mais começaram a apoiar a causa.

Os seis dias de Levante estavam terminados, mas a luta estava longe de terminar. Embora os rebeldes não tivessem alcançado seu objetivo na época, a Revolta da Páscoa inspirou vários outros eventos, culminando com a assinatura de um tratado em 1921 e a criação de um Estado Livre Irlandês em 1922 que abrangia somente 26 dos 32 condados da Irlanda. Isso levou a uma guerra civil amarga que durou aproximadamente um ano (mas isto já é assunto para um outro post).


O Garden of Remembrance, ou Jardim da Lembrança, fica no local dos antigos Jardins da Rotunda Square, onde muitos rebeldes foram retidos após sua rendição. Hoje é um memorial aos homens e mulheres que morreram na luta pela independência da Irlanda. A escultura principal feita por Oisin Kelly, é baseada no tema de uma lenda irlandesa muito famosa “Children of Lir” ou Fihos de Lir onde as crianças se libertaram depois de 900 anos.



Caminhando comigo pelas ruas de Dublin você poderá explorar os principais pontos sobre a Rebelião da Páscoa e aprender mais sobre a história da Irlanda. Fale comigo.


#minhairlanda #dublin #guiadeturismo #visitandoairlanda #livindublin #inspiração #turismocultural #virtuoso #keepdiscovering #irishrebellion #GPODublin #1916

#guiabrasileironairlanda #AtgiTouristguides #FEG_QualifedTouristGuides #tourcultural

#caminhandoemdublin #historiadaIrlanda

4 visualizações

Contato

Claudia Ozelame

Guia Brasileira na Irlanda 

Dublin 13

Rep. da Irlanda 

​​

Tel/Whatsapp 00353 (0)87 632 4660

Cozelame@gmail.com

  • Instagram
  • Facebook
  • LinkedIn

© 2023 by Personal Life Coach. Proudly created with Wix.com